×

Golpismo | Após nova ofensiva golpista pelo voto impresso, Bolsonaro pode ser chamado a depor no TSE

TSE abriu inquérito nesta segunda (2) como resposta a nova ofensiva de acusações do presidente sobre fraudes nas urnas, e hoje (3) deve chamar Bolsonaro, Anderson Torres (ministro da Justiça) e outros participantes da última live de quinta-feira para deporem.

terça-feira 3 de agosto | Edição do dia

A sugestão de abertura do inquérito veio do ministro Luís Felipe Salomão, corregedor Eleitoral, e foi aprovada por unanimidade dos ministros sem a necessidade de solicitação da Procuradoria-Geral Eleitoral, assim como fez o STF sobre o inquérito das fake news.

O inquérito vem como resposta à live de quinta-feira do presidente, onde profere sua política golpista do voto impresso e diz que não há provas que as urnas sejam seguras. Além disso, os miúdos atos em apoio ao presidente no domingo junto ao twitaço promovido por milhares de robôs bolsonaristas em prol do voto impresso, também pesaram na balança.

O presidente da corte, Luís Roberto Barroso, disse que nessa investigação do TSE ocorrerá colheita de depoimentos de “autoridades” que fizeram relatos e “declarações sem comprovação de fraudes no sistema eletrônico de votação com potenciais ataques à democracia”. Bolsonaro, o ministro da Justiça e outros participantes da live de quinta-feira devem ser chamados ainda hoje para depor. O TSE também mandou a live para o inquérito das fake news, na tentativa de abranger não só a esfera eleitoral, mas também criminal, que está sob relatoria de Alexandre Moraes.

Com isso, os ministros do TSE, principalmente Salomão, Alexandre Moraes e Barroso tentam se localizar como contentores da política golpista de Bolsonaro, após anos de ataques do presidente sobre o sistema eleitoral. Dependendo dos rumos do inquérito, o presidente pode ter sua elegibilidade para as novas eleições cassada. Os robôs disparando fake news, investidas golpistas e atos antidemocráticos é o que não falta na trajetória do presidente.

No entanto, Barroso, Moraes, Salomão, instituições como o TSE ou mesmo o STF não têm por trás de suas ações a defesa dos direitos democráticos ainda existentes nesse regime golpista que eles mesmos foram linha de frente de erguer.

Veja também: É a luta dos trabalhadores que pode barrar o autoritarismo de Bolsonaro e seus seguidores




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias